top of page
Buscar
  • Foto do escritorLucca Hansen

O que é a Retinografia?

O que é retinografia?


A retinografia é um exame de imagem que fotografa o fundo do olho, incluindo a retina, o nervo óptico e os vasos sanguíneos. É um exame não invasivo e indolor que pode ser realizado em adultos e crianças.



Imagem mostrando uma Retinografia Normal.
Imagem mostrando uma Retinografia Normal, foto do fundo do olho.

Imagem de retinografia normal


Indicação da retinografia

A retinografia é indicada para:


  • Avaliação da saúde ocular geral: permite ao médico avaliar a saúde da retina, do nervo óptico e dos vasos sanguíneos, que são estruturas essenciais para a visão.

  • Rastreamento de doenças oculares: pode ajudar a detectar alterações precoces de doenças como glaucoma, retinopatia diabética, degeneração macular relacionada à idade (DMRI) e oclusão vascular retiniana.

  • Acompanhamento de doenças oculares já diagnosticadas: pode ajudar a monitorar a progressão da doença e avaliar a eficácia do tratamento, como no: Glaucoma, Toxoplasmose, Doenças de Retina, Coriorretinopatia Central Serosa e mais.

  • Avaliação de alterações oculares após cirurgias ou tratamentos: pode ajudar a avaliar o resultado do procedimento e detectar possíveis complicações.

  • Solicitação médica: pode ser solicitada pelo médico para avaliar qualquer alteração visual ou suspeita de doença ocular. É geralmente solicitada para avaliação de pacientes com diabéticos, hipertensos, com doença renal crônica, com infarto agudo do miocárdio pregresso ou recente, com arterioloesclerose, com apnéia obstrutiva do sono.

Importância da retinografia

A retinografia é um exame importante para a saúde ocular, pois permite ao médico avaliar a saúde da retina, do nervo óptico e dos vasos sanguíneos. Essas estruturas são essenciais para a visão, e alterações nelas podem levar à perda de visão.


Imagem mostrando o aumento da escavação do nervo óptico no Glaucoma.
Aumento da Escavação do Nervo Óptico no Glaucoma.



A retinografia no glaucoma

O glaucoma é uma doença que causa danos ao nervo óptico, o que pode levar à perda de visão. A retinografia é um exame importante para o diagnóstico e acompanhamento do glaucoma, pois pode ajudar o médico a detectar alterações no nervo óptico que possam indicar a doença.


Realização da retinografia

O paciente senta-se em frente a um aparelho chamado retinógrafo.

As máquinas mais modernas conseguem tirar fotos da maioria dos pacientes sem precisar dilatar.

Na Ortolan Oftalmologia temos o retinógrafo Eyer que faz as fotos sem precisar dilatar (tecnologia não midriática). Em seguida, o médico usa um dispositivo para projetar uma luz no fundo do olho do paciente. A luz é refletida pela retina e captada por uma câmera.



Exsudatos duros (depósitos de colesterol) em pacientes com Retinopatia Diabética ou Retinopatia Hipertensiva.
Exsudatos duros (depósitos de colesterol) em pacientes com Retinopatia Diabética ou Retinopatia Hipertensiva.

Imagem de retinografia de retinopatia diabética


Duração do exame

O exame dura cerca de 1 a 2 minutos. O paciente deve permanecer imóvel durante o exame para que as imagens sejam nítidas.


Doenças detectadas pela retinografia

A retinografia pode detectar uma variedade de doenças oculares, incluindo:

  • Glaucoma: danos ao nervo óptico

No glaucoma há perda das fibras nervosas do nervo óptico.
No glaucoma há perda das fibras nervosas do nervo óptico. Veja o nervo óptico normal na imagem A e um caso de glaucoma avançado na imagem B.

  • Retinopatia diabética: alterações na retina

Pequenas Hemorragias que ocorrem na Retinopatia Diabética que podem levar à perda de visão.
Pequenas Hemorragias que ocorrem na Retinopatia Diabética que podem levar à perda de visão.

  • Degeneração macular relacionada à idade (DMRI): alterações na mácula

Imagem mostrando as Drusas de Mácula, comumente encontradas na Doença Macular Relacionada Á Idade (DMRI Seca e DMRI Úmida).
Imagem mostrando as Drusas de Mácula, comumente encontradas na Doença Macular Relacionada Á Idade (DMRI Seca e DMRI Úmida).

  • Oclusão vascular retiniana: obstrução dos vasos sanguíneos (foto abaixo em outras doenças.

Oclusão da Artéria Centrral da Retina, mostrando a retina pálida. Ainda neste caso há circulação da artéria ciliorretiniana que nutre a mácula central.
Oclusão da Artéria Centrral da Retina, mostrando a retina pálida e sangramentos em chama de vela. Ainda neste caso há circulação da artéria ciliorretiniana que nutre a mácula central.

  • Hipertensão Arterial Sistêmica (Pressão Alta Arterial): pode causar a retinopatia hipertensiva.

Caso de Retinopatia Hipertensiva severa.
Caso de Retinopatia Hipertensiva severa com pequenos sangramentos no fundo do olho e inchaço dos nervos ópticos (papiledema).

  • Muitas outras doenças oftálmicas como: coriorretinopatia central serosa, oclusão de ramo da artéria central da retina, hemorrágia pré-retiniana extensa.

De cima para baixo e da esquerda para direita: oclusão de ramo de artéria central da retina, grande hemorragia pré-retiniana, retinografia mostrando coriorretinopatia central serosa, imagem de OCT mostrando coriorretinopatia central serosa.
De cima para baixo e da esquerda para direita: oclusão de ramo de artéria central da retina, grande hemorragia pré-retiniana, retinografia mostrando coriorretinopatia central serosa, imagem de OCT mostrando coriorretinopatia central serosa.

Conclusão

A retinografia é um exame importante para a saúde ocular, pois permite ao médico avaliar a saúde da retina, do nervo óptico e dos vasos sanguíneos. Essas estruturas são essenciais para a visão, e alterações nelas podem levar à perda de visão.


Autor:

Dr. Lucca Ortolan Hansen

Médico Oftalmologista (USP). CRM 177.002 | RQE 86.155


126 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

תגובות


bottom of page