top of page
Buscar
  • Foto do escritorLucca Hansen

Aula de Cirurgia Refrativa no Congresso da USP.

Atualizado: 7 de dez. de 2023


Dr. Lucca Ortolan Hansen apresentando caso clínico de Cirurgia de FemtoLASIK (Cirurgia Refrativa) no Congresso de Oftalmologia da Universidade de São Paulo.
Dr. Lucca Ortolan Hansen apresentando caso clínico de Cirurgia de FemtoLASIK (Cirurgia Refrativa) no Congresso de Oftalmologia da Universidade de São Paulo em 2021.

Aula de Cirurgia Refrativa no Congresso de Oftalmologia da Universidade de São Paulo em 2021:


O dr. Lucca Ortolan Hansen apresentou caso clínico de cirurgia refrativa com a técnica de FemtoLASIK na seção de Cirurgia Refrativa no Congresso de Oftalmologia da Universidade de São Paulo em 2021.


Qual a melhor técnica de cirurgia refrativa?


No Brasil, as duas técnicas mais utilizadas são o PRK (ablação de superfície) e a LASIK (técnica com lamela). O LASIK pode ser feito com o microcerátomo (lâmina especial) ou com o laser de femtossegundo (mais preciso e moderno).


O FemtoLASIK, ou ceratomileuse local assistida por laser (LASIK) com laser de femtossegundo, é uma técnica moderna, eficaz, e reprodutível que permite o tratamento adequado do grau (refração) do paciente: seja miopia, astigmatismo ou hipermetropia.


Nesta técnica, é confeccionada uma lamela de córnea (espécie de tampinha de córnea) através do uso do laser de femtossegundo, preciso e eficaz laser que cria um corte de precisão incrível através da criação de minúsculas bolhas dentro do tecido corneano (cavitação).


O FemtoLASIK é conhecido internacionalmente por oferecer recuperação visual muito mais rápida, pós-cirúrgico praticamente indolor, visão mais estável inicialmente.


A indicação da cirurgia correta para cada paciente depende de uma série de características técnicas que são avaliadas no pré-operatório como: espessura da córnea, relação do PTA (percentual de tecido alterado, que deve ser inferior à 40%), desenho da córnea avaliado pela topografia anterior de córnea, grau do paciente, condições como o olho seco associado, idade do paciente, avaliação da córnea posterior e mais.


Curiosidade: você sabia que o LASIK pode não ser a melhor técnica para os pacientes que fazem esportes de contato como lutas? Para estes pacientes e para aqueles que desejam servir o exército, ou a polícia militar, é mais indicada a realização do PRK. Isto se dá, pois no PRK não é confeccionada a lamela de córnea.


Quais as vantagens e desvantagens do PRK em relação o LASIK?


Vantagens:

As principais vantagens atuais do PRK são:


1)Cirurgia mais rápida por ser realizada uma etapa a menos (não tem flap).


2)Melhor para quem tem grande aflição/medo da cirurgia refrativa/incômodo com o toque próximo dos olhos (pode ser feito sem toque - com a tecnologia Streamlight: chamado de PRK transpitelial).


3)Causa menos risco de olho seco do que o LASIK.


4)Pode ser usado em córneas mais finas.


5)Pode ser usado em graus mais altos que não poderiam ser tratados com LASIK devido o PTA alterado.


6)Não tem risco de complicações relacionadas ao FLAP.


7)Excelente para retratamento de LASIK.


Desvantagens:

As principais desvantagens atuais do PRK são:


1)Maior tempo de recuperação visual.


2)Mais dor pós operatória - minimizada com o uso de analgésicos orais, colírio antiinflamatório não esteroidal, uso de lente de contato terapêutica (tipo bandage).


3)Tem risco aumentado de ceratite infecciosa no pós-operatório - complicação rara com o uso de antibióticos locais avançados como as quinolonas de 4a geração (moxifloxacino e gatifloxacino).


4)Tem risco aumentado de Haze, ou cicatrização inadequada, no pós-operatório - complicação rara com a cirurgia moderna com uso de Mitomicina.


Resumo:


É possível obter excelente visão para a maioria dos pacientes com as principais técnicas cirúrgicas refrativas da atualidade (PRK, LASIK, FemtoLASIK, SMILE). A maioria dos pacientes operados considera a visão muito superior aquela dos óculos. Isto se dá devido a correção ser feita diretamente na córnea.


A indicação da melhor técnica para cada caso depende da avaliação precisa e pormenorizada dos dados clínicos oftalmológicos e dos exames de cada paciente.


Não existe técnica de cirurgia refrativa perfeita, porém sempre existe uma mais adequada para cada caso, e existem casos em que nenhuma técnica corneana é indicada.


Para estes pacientes com contraindicação (córnea muito fina, grau muito elevado, topografia desfavorável) de cirurgia refrativa corneana com uso de laser, existe hoje em dia o implante de lente fácica, que será tema de outro post futuro.



Dr. Lucca Ortolan Hansen

CRM 177.002 / RQE 86.155

Especialista em Cirurgia Refrativa - HCFMUSP.

Médico formado em Oftalmologia pelo HCFMUSP.

Graduado na Pontifícia Universidade Católica de Campinas.


59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page